15/05/2015

Mal Começo, por Lemony Snicket.

Olá galerinha! Aqui estou eu mais uma vez, e hoje para fazer a resenha do primeiro livro da coleção Desventuras em Série.
Não sei se vocês já conhecem ou já leram, é muito provável que sim.

 ⭐⭐⭐⭐⭐
Título: Mau Começo
Autor: Lemony Snicket
Páginas: 150
Compre em: Saraiva
Sinopse: 'Mau começo' é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Violet, Klaus e Sunny são encantadores e inteligentes, mas ocupam o primeiro lugar na classificação das pessoas mais infelizes do mundo. De fato, a infelicidade segue os seus passos desde a primeira página, quando eles estão na praia e recebem uma trágica notícia. Esses ímãs que atraem desgraças terão de enfrentar, por exemplo, roupas que pinicam o corpo, um gosmento vilão dominado pela cobiça, um incêndio calamitoso e mingau frio no café da manhã. É por isso que, logo na quarta capa, Snicket avisa ao leitor: 'Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere'.




Nesse primeiro livro o narrador da história nos apresenta os três irmãos Baudelaire: Sunny, Klaus e Violet.
Logo de inicio nos é dado um aviso de que esse livro não é para aquelas pessoas que esperam um final feliz e uma história bonitinha. E de fato, nada feliz acontece na história dos três irmão.
Logo de cara, os três recebem a triste noticia de que ocorreu um incêndio que destruiu não apenas o lar dos três e tudo o que eles gostavam, como também matou seus pais. O senhor Poe, um banqueiro amigo da família, que lhes dá a péssima noticia ainda os conta que até que Violet atinja a maioridade, eles não terão acesso a nenhum tostão da fortuna herdada dos pais e terão que viver com algum parente próximo. Eis que ai surge o problema seguinte: os órfãos não têm parentes próximos e ficam hospedados na casa de Poe, até que ele encontra o conde Olaf, um parente distante que põe muito medo nos três órfãos junto com sua companhia teatral e sua tatuagem de um olho no tornozelo.
Os três são obrigados a fazer tarefas de casa, fazer compras e cozinhar para seu tio e sua companhia teatral do mal enquanto o conde Olaf bola um mirabolante plano para se apoderar da fortuna dos órfãos.
O livro é bem curto, então como podem imaginar, não posso falar muito sobre ele sem que spoilers apareçam. Então para fechar essa resenha de hoje, falarei um pouco sobre os órfãos Baudelaires.
A começar por Sunny, uma garotinha de três anos que ainda não desenvolveu sua fala e por isso diz tudo no idioma dos bebês, mas não se preocupem, o narrador traduz tudo para que possamos compreender a pequena protagonista. Ela adora morder objetos, isso porque tem seus dentes que são bem grandes e afiados apesar de serem apenas três ou quatro.
Klaus é o filho Baudelaire do meio. Um garoto inteligente que adora devorar livros. Lê sobre tudo, e o tempo todo, além disso adora o que faz.
Violet é a irmã mais velha e é uma inventora. Quando ela estiver prendendo seu cabelos para trás com sua fita, pode ter certeza que é para deixar sua visão livre para as engrenagens que estão em funcionamento em sua cabeça.
Os três personagens são adoráveis, com algumas exceções, é claro. Eu gostei bastante da história, haha, eu curtindo as tragédias, e os personagens são muito bem construídos. Os três irmãos sempre juntos apoiando um ao outro, pensando sempre de forma conjunta, buscando resolver seus problemas juntos e conseguindo proezas de forma mito inteligente fizeram com que eu gostasse tanto do livro e desse continuidade na leitura da série.
Vou ficando por aqui pessoal, beijocas, compartilhe com seus amigos, comentem o que acharam e se ainda não é inscrito aqui no blog, não perca mais tempo!